Não há foz não há nascente

Dir: Valentina Homem
Mostra: Competitiva
18' . 2017 . PE/RJ

Sinopse

A volta ao passado, e a reorganização das imagens-memórias guardadas em fitas de miniDV é um gesto impossível de transmutação. É possível superar o medo? Vestir a imagem, como vestir a pele do outro que nunca fui e nunca serei.

Classificação 14 anos

Exibição: 17 de novembro às 19h

Ficha técnica

Sempre Viva
/ Companhia produtora

Valentina Homem
/ Produção executiva

Valentina Homem
/ Produção

Valentina Homem
/ Roteiro

Valentina Homem, Ricardo D’Aguiar, Amara Barroso
/ Fotografia

Juliane Peixoto, Valentina Homem
/ Montagem

Felippe Schultz Mussel, Valentina Homem
/ Edição de som

Festivais e Prêmios

  • Estreia em festivais

valentinahomem@gmail.com
/ CONTATO

Valentina Homem

Diretora de cinema e artista visual, é mestra em cinema e artes midiáticas pela Temple University, EUA. Realizou os curtas A vó (2002), Com uma câmera (2006), Landscaping (2007), Nova ordem (2010), Brócolis (2015) e Abigail (2016); e a vídeo instalação em 4 canais O conto sobre o vazio (2013), e performances como Será a transformação (de fato) silenciosa (2015) e Última dança para minha avó em três atos curtos (2016/2018).