PREMIAÇÃO JÚRI OFICIAL

Mariana Nunes

É atriz brasiliense, atuou em mais de 10 longas. Na Argentina em Zama, de Lucrecia Martel, em Portugal em São Jorge, de Marco Martins. No Brasil, em longas como Febre do rato, de Cláudio Assis, com o qual ganhou o Prêmio Ver ou Não Ver de melhor atriz no Festival Curta + SE, Alemão, de José Eduardo Belmonte, Trinta, de Paulo Machiline, O homem mau dorme bem, de Geraldo Moraes, pelo qual ganhou o prêmio Kalunga de melhor atriz coadjuvante no Cine PE 2010 e O último trago, de Pedro Diogenes e Luis e Ricardo Pretti. Na TV, trabalhou em A cura, de João Emanuel Carneiro, Liberdade liberdade, de Mário Teixeira e Carcereiros, de Fernando Bonassi, dentre outros. No teatro, trabalhou com diretores como Adriano e Fernando Guimarães e Cristina Moura. É formada pela Faculdade de Artes Dulcina de Moraes e estudou interpretação para televisão e cinema no Instituto del Cine de Madrid.


Paula Gaitán

Nasceu em Paris, em 1954. É artista visual, fotógrafa, poeta e cineasta, formada em artes visuais na Universidad de Los Andes de Bogotá, Colômbia, Começou a trabalhar com cinema em 1978, quando foi diretora de arte no clássico de Glauber Rocha A Idade da Terra. Com uma sólida carreira em documentários desde 1983, realizou sete longas-metragens, dezenas de trabalhos de curta ou média metragem, instalações e trabalhos de vídeo arte para diversas exposições coletivas. É diretora de filmes como Uaka (1988), Diário de Sintra (2007), Vida (2008), Agreste (2010) e Exilados do vulcão,  filme que lhe rendeu o Candango de melhor filme no Festival de Brasília 2013. Seus trabalhamos já integraram a programação de importantes festivais como FidMarseille, IndieLisboa,  Guadalajara, Cartagena, BAFICI, Havana, Tribeca e Viennale, entre outros.


Philipp Hartmann

Nasceu em 1972 em Karsruhe, na Alemanha. É mestre em comunicação visual pela Escola de Belas Artes de Hamburgo e em ciências latino-americanas pela Universidade de Colônia em parceria com a Universidade Federal do Ceará, além de Doutor em economia pela Universidade de Colônia em parceria com a Fundação Getúlio Vargas, no Rio de Janeiro. Atua como cineasta independente desde 2000, e dirigiu filmes como O tempo passa como um leão rugindo (Menção honrosa nos festivais de FICUNAM e Transcinema de Lima, 2013), Réquiem para Sra. H. (2007) e.ice.t (2012). Seus trabalhos foram exibidos de importantes festivais como CPH:DOX, Viennale, DocLisboa, FIDBA, Festival de Vancouver, entre muitos outros. Seu filme mais recente, 66 Kinos, integra  a seleção desta edição da Semana.