Prêmio edt. Ricardo Miranda – Montagem de Invenção (Curta e longa)

Pelo quinto ano consecutivo, a edt. – Associação de Profssionais de Edição Audiovisual do Rio de Janeiro irá premiar a montagem de filmes da Semana. O prêmio foi criado em 2014 em homenagem ao grande montador e professor Ricardo Miranda, mestre de inúmeros profissionais que atualmente dão continuidade às suas ideias sobre montagem cinematográfca. Refletindo sobre essa etapa tão importante na construção dos filmes, a edt. terá nesse ano um júri composto por Ana Costa Ribeiro, Priscila Bittencourt e Pedro Bronz.

Ana Costa Ribeiro
Artista e cineasta. Doutora em Arte e Cultura Contemporânea pela UERJ e Master of Fine Arts em Cinema pela San Francisco State University. Como diretora, realizou oito curtas-metragens e quatro séries documentais. Foi montadora de diversos filmes, entre eles, o longa-metragem Tamboro, de Sergio Bernardes (Prêmio de Melhor Montagem, Festival do Rio). Em 2018, realizou duas exposições individuais: A casa é quando a gente volta Além do ponto de fusão. Atualmente desenvolve o projeto de seu primeiro longa-metragem como diretora: Termodielétrico.

Priscila Bittencourt
Montadora, cineclubista, Vj, fotógrafa e produtora. Coordenadora da Peneira, uma organização multicultural criada no Rio de Janeiro em 2010, e que busca possibilidades estéticas em suas variadas ações no campo da indústria criativa. Atuando através da combinação de linguagens, propõe processos artísticos e estratégias de viabilização, mobilização e metodologias propulsoras para transformações culturais e sociais. Cursou Direção Cinematográfica na Escola de Cinema Darcy Ribeiro. Graduada Ciências Sociais na UFRJ, com formação voltada para Antropologia Visual. Ao longo da trajetória profissional montou alguns curtas, o longa Mídia em movimento assim como projetos institucionais ligados a cultura e memória.

Pedro Bronz
Trabalha com edição audiovisual desde 1993. Trabalhou como assistente de grandes montadores do cinema e da TV. Fez parte da primeira geração de operadores de AVID em 1995, ano que o equipamento começou a operar no Brasil. Posteriormente começou a editar. A partir daí buscou sempre trabalhar com diferentes linguagens, para uma diversidade de produtoras, emissoras de TV e diretores: Cinema-ficção, documentário, programas de tv, vídeo-clip, comerciais e institucionais fazem parte do currículo. Em 2012 colabora na criação da EDT, primeira associação de montadores do Brasil.