DEBATE 2 – MITOS DE ORIGEM E CONTOS DO FIM DO MUNDO

Exibição

01 de setembro de 2020 às 20h

Sobre

Com o tema “Mitos de origem e contos do fim do mundo“, teremos a conversa sobre os filmes SÓLON, de Clarissa Campolina; e GLÓRIA, de Yaminah Abayomi e Nádia Oliveira. Contaremos com a participação das diretoras Clarissa Campolina, Yaminha Abayomi e o escritor Ondjaki. Mediação de Karen Black.
A vida que surge da terra e do fogo, a origem da água, o ar que pesa. O homem que destrói a natureza que lhe deu a vida. Os dois curtas têm em comum imagens fortes de criação e destruição, a relação entre seres e natureza, nascimento e morte. Uma conversa sobre a imaginação e concretização dessas pequenas mitologias.

Debatedores

Yaminaah Abayomi - Glória

Artista multilinguagem. Ela investiga o corpo em cena através da dança, do cinema, do canto e do teatro. No universo das imagens, Yaminaah pinta com aquarela, aguadas e acrílica. Suas obras tendem a abordar temas como o corpo femeal; neuroatipias; prazeres; cura e doença; mitologias antigas e a natureza. Junto com Nádia Oliveira, co-dirigiu o seu primeiro curta-metragem, Glória (2019), exibido em centros culturais e festivais de cinema nas mais diversas regiões do Brasil. Como atriz, protagonizou o curta-metragem Tudo Vai Ficar Bem (2020), de Tainá Ramos. Atuou ainda na peça de teatro Os Cegos, de Maeterlink (2017), com direção de Isabella Raposo e foi responsável pela assistência de direção e preparação de elenco do filme Perpétuo(2018), integrante da Mostra Soul in the Eye, no Festival Internacional de Rotterdam

Clarissa Campolina - Sólon

Vive em Belo Horizonte e é sócia da produtora Anavilhana. Dirigiu documentários, instalações, curta e longas. Em 2015 o Programa de Residência Artística DAAD realizou uma retrospectiva de seu trabalho no Cinema Arsenal em Belim (Alemanha). Girimunho (2011), seu primeiro longa-metragem, venceu o prêmio Interfilm, no festival de Veneza. Enquanto Estamos Aqui; (2019), seu segundo longa-metragem, teve sua estreia no festival de Roterdã.

Ondjaki - Prosador e Poeta

Nasceu em Luanda em 1977. É doutorado em Estudos Africanos (L’Orientale, Napoli/Itália). Prosador e poeta, também escreve para cinema. É membro da União dos Escritores Angolanos. Recebeu os prémios Sagrada Esperança (Angola, 2004); Conto – A.P.E. (Portugal, 2007); Grinzane para «jovem autor africano» (Itália/Etiópia, 2008); FNLIJ (Brasil, 2010); JABUTI juvenil (Brasil, 2010). Está traduzido para francês, espanhol, italiano, alemão, inglês, sérvio e sueco. Escreve crónicas para jornais (Angola, Portugal) e, ocasionalmente, é professor de escrita criativa. [www.kazukuta.com/ondjaki] O seu mais recente romance (2020) chama-se “O livro do Deslembramento”.

Karen Black - Montadora, roteirista e curadora de cinema

Formada em cinema pela UFF, dirigiu cinco curtas metragens. Foi uma das criadoras do cineclube Cachaça Cinema Clube e colaborou com festivais como Festival Internacional de Curtas Metragens de São Paulo, Mostra Curta Cinema, Festival Femina, Janela Internacional de Cinema do Recife, e Interfilm Berlin. Atualmente programa os curtas metragens do Festival de Cinema Luso-brasileiro de Santa Maria da Feira.