DRAMA QUEEN

12” | 2020| Belo Horizonte (MG /Brasil)

Direção

Gabriela Luíza
cartaz drama queen_ jocoso

SINOPSE

Os dilemas da diretora que mirando realizar um documentário clássico acaba por acertar no filme ensaio. Uma ode à arte dramática surpreendida por uma enxurrada tragicômica.

CLASSIFICAÇÃO

12 anos

EXIBIÇÃO

09 a 16 de março de 2021

FICHA TÉCNICA

COMPANHIA PRODUTORA: Ela S/A.

PRODUÇÃO EXECUTIVA: Ela S/A.

ATUAÇÃO: Carolina Castanho, Lucas Andrade e Gabriela Luíza.

PARTICIPAÇÃO ESPECIAL; Feliz Trovoada e Mirella Façanha.

TRILHA SONORA: Gabriela Luíza.

MONTAGEM: Gabriela Luíza.

ARTE DOS CRÉDITOS: Bruno Rios.

FESTIVAIS E PRÊMIOS
Recebeu o 6º Prêmio BDMG Cultural / FCS de Curta- metragem de Baixo Orçamento.
Teve sua estréia na 24° Mostra de Cinema de Tiradentes integrando a mostra Foco em janeiro de 2021.
Participou da Mostra ‘Instante Suspenso’ em fevereiro de 2021.
Integra a mostra competitiva do CINEFESTIVAL 2021.

CONTATO:
Gabriela Luíza, Ela.LTDA
eladegabriela@gmail.com | IG: @ela.ltda

foto gabriela luíza

Gabriela Luíza

MINI-BIO

Realizadora de cinema, montadora e atriz. Dirigiu, montou e atuou no filme “Drama Queen” premiado pelo 6º Prêmio BDMG Cultural / FCS de Curta- metragem de Baixo Orçamento, que teve sua estréia na 24° Mostra de Cinema de Tiradentes integrando mostra Foco. Fotografou e montou o filme “Pietà” que teve sua estreia na Competitiva Minas no FestCurtas BH 2020 e integrou a mostra Foco Minas também na 24° Mostra de Cinema de Tiradentes. Atualmente está dirigindo e montando o curta “O escafandrista do Cercadinho” realizado junto do projeto Córregos Vivos em BH, e desenvolvendo o longa “Berlin Betim” juntamente ao coletivo As Talavistas. Integrou a equipe dos filmes mineiros: “Arábia” de Affonso Uchoa e João Dumans, “Sonâmbulos” de Tiago Mata Machado, e “Coiote” de Sérgio Borges. Em São Paulo, iluminou o clipe “Joana Dark” de Ava Rocha e dirigiu clipes de Gustavo Galo, Bárbara Eugênia e Felipe Cordeiro. Atuou com o grupo Espanca! de Teatro sendo protagonista da peça “Dente de Leão”. Transitando do teatro ao cinema, hoje, a artista investiga as dinâmicas da videoarte como saída de construção da narrativa.