RIO-CORAL

5′ | 2020 | Sobral (CE)

Direção

Kulumim-Açu
still 01 rio-coral

SINOPSE

Rio-coral é um fluxo de pulso vital de serpentear à beira do Rio Acaraú, na altura do território de Sobral/CE. Acompanhando uma fauna encantada em olho d’água desde a Serra da Mata, percorrendo 320 quilômetros sertão à dentro até a foz do município de Acaraú/CE, mundaréu à fora.

CLASSIFICAÇÃO

Livre

EXIBIÇÃO

25 de maio a 01 de junho de 2021

FICHA TÉCNICA

COMPANHIA PRODUTORA: Independente

PRODUÇÃO EXECUTIVA, ROTEIRO, FOTOGRAFIA, SOM, DIREÇÃO DE ARTE,

FIGURINO, MONTAGEM, MIXAGEM: Kulumim-Açu

FESTIVAIS E PRÊMIOS:

“History that speaks: first notes”, curadoria de Diane Lima para a Plataforma Hangar ONLINE, Lisboa, Portugal

Mostra Negritude Infinita/CE (2021), Sessão 4: Pássaro que voa para frente e olha para trás

4ª Mostra Osmane Sembene de Cinema/BA (2021), Sessão 3: Um certo olhar

Mostra de vídeo Estuário/PE (2021)

Açu

Kulumim-Açu

MINI-BIO

Indígena nativo da foz do mangue do Rio Siará, Fortaleza/CE. A partir das culturas brincante e nômade como a Arraia e a Pixação, transversaliza múltiplas linguagens artísticas, traduzindo imaginários muito ligados às heranças orais-visuais dos povos indígenas do Território Siarense. Conta histórias em literatura originária, utilizando-se da crônica, da prosa, da poesia, do conto e do exercício do ensaio em si. Alonga as formas de fazer colagens analógicas e digitais, animando-as com videoarte ou usando-as como repertório de pulso vital dentro da pintura em técnica mista. Formado pelo Curso Princípios Básicos de Teatro (CPBT 2017-2018), atua na pesquisa, dramaturgia e na preparação de elenco. Participou de curadorias coletivas como em “Territórios Somos Nós” (2019), organizada pelo Ateliê Casamata, “Mostra Perifeéricos” (2019), realizada no Centro Cultural Bom Jardim (CCBJ), ambas acontecidas em território fortalezense. No final de 2019, esteve presente com a obra “Caos de maresia, estória de mangue” na exposição coletiva do Valongo Festival da Imagem – O melhor da viagem é a demora, curadoria de Diane Lima. No final de 2020, participa com três vídeos da série “MANGUESERTÃO – deslocamento entre a Bacia do Rio Siará e o Vale do Acaraú sobralense” de outra curadoria de Diane Lima: “The history that speaks: first notes” para a plataforma Hangar ONLINE – Centro de Intervenções Artísticas, sediada em Lisboa, Portugal. Atualmente, está como estudante na 5ª turma de Realização em Audiovisual da Vila das Artes, Fortaleza/CE (2019/2022).