SER DA MARGEM

47′ | 2020 | Sobral (CE)

Direção

Thamires Coimbra e Lucas Melo
20201220_135457_0000 (1)

SINOPSE

Margem é como a juventude de Sobral se refere à Margem Esquerda do Rio Acaraú, ponto turístico desta cidade do interior do Ceará. Local de encontro de opostos, a Margem reúne o tradicional (restaurantes, famílias em picnic, museu e biblioteca) e ao mesmo tempo é um local de encontro de juventudes de bairros, estilos e classes sociais diferentes, assim como também artistas marginais. O filme Ser da margem apresenta quatro histórias sobre jovens artistas sobralenses, conectadas através da relação destes personagens com este espaço físico/abstrato em comum: a Margem. As vidas dos personagens são visitadas em dois diferentes momentos, em 2018 e em 2020, e por isso o filme reúne imagens captadas nesses dois anos e apresenta como plano de fundo histórico as tensões sociopolíticas que os marcaram, como a última eleição para presidente e a pandemia da covid-19.

CLASSIFICAÇÃO

14 anos

EXIBIÇÃO

25 de maio a 01 de junho de 2021

FICHA TÉCNICA

COMPANHIA PRODUTORA: Queremos Produções

PRODUÇÃO EXECUTIVA: Tiago Rocha, Marcelo Carvalho

PARCERIAS: Oca, Toca da Matraca, Toca do Gabirú

ROTEIRO: Lucas Melo, Thamires Coimbra

FOTOGRAFIA: Thamires Coimbra

SOM: Lucas Melo

DIREÇÃO DE ARTE: Thamires Coimbra e Lucas Melo

FIGURINO: Vaca Profana Vintage

MONTAGEM: Raul Xavier

TRILHA SONORA: Calçada Invisível, Colorida Banda, Clevison Menezes, PodeCrer, Moon Kenzo, DJ CLONAZEPAM, Cemitério de Flores

ELENCO: Malika, Clevison Menezes, Lucas Vasconcelos, Thamires Coimbra

DEPOIMENTOS: Akwa Ra Mon, Jessi, Ana Sarah, Marcela Sena, Mayara, Joy, Alana, Rêh, Wladynna

FESTIVAIS E PRÊMIOS: -brasileiras Com Fundamento Na Lei Aldir Blanc Nº 003/2020 – Secretaria de Cultura, Juventude, Esporte e Lazer de Sobral.

Foto Thamires e Lucas

Thamires Coimbra e Lucas Melo

MINI-BIO

Thamires Coimbra: Sobralense, Thamires Coimbra, é Artista do Corpo, das Artes Visuais, Performer, Podcaster e Produtora Cultural. Licenciando Ciências Sociais pela Universidade Estadual Vale do Acaraú – UEVA. Em seus trabalhos dialogam com o teatro, performance, cinema, antropologia, sociologia, música, poesia marginal e cultura underground. No teatro compôs o elenco de atores da companhia 4 Portas na Mesa com as peças Tempos de Brecht, Eles Não Usam Black Tie e MEDEA todas com direção de Chico Expedito Sólon, onde apresentaram-se em Bienais, Mostras e Encontros. Atualmente está no Coletivo Toca da Matraca com as obras cênicas Mapa do Flaneur e Das Dores 38 com encenação de Jander Alcântara. É Produtora e Artista do Corpo no Coletivo Toca da Matraca e Coletivo Lado B, Fotógrafa e Figurinista e designer do Ateliê Vaca Profana Vintage, Curadora do Cineclube Percepções. No cinema realizou sua estreia em 2020, como diretora e roteirista do média-metragem Ser da Margem.

Lucas Melo: Cearense, Sobralense, 25 anos, Lucas Melo lançou, em 2020, seu primeiro filme, Ser da Margem. É músico, compositor, produtor cultural, CEO de um sebo e almejante a escritor. Também graduando de Letras pela Universidade Estadual Vale do Acaraú e estudante de gestão cultural. Contribui com coletivos desde 2012, sendo um dos membros fundadores do Coletivo Lado B, com o qual idealizou e realizou o bloco Micareta Transcendental, os festivais Muriçoca e Peixe Estranho Rock Fest, e Encontro de Coletivos e Agentes Culturais. Como músico participou de diversas bandas, explorando o underground cearense, principalmente o da região norte e da serra da Ibiapaba. Em 2021, Iniciou o projeto Paleta de Cores, em que através da sua conta no Instagram, @ninguememeunome, partilha seus experimentos com composição e poesia, realizados em 2020. No projeto, Lucas Melo explora a pluralidade no indivíduo, sua paleta de emoções e sentimentos. Para expressar essa pluralidade, o artista se valeu de uma variedade de técnicas, dialogando com ritmos – mais tradicionais – como a bossa nova e – mais jovens e controversos – como funk e brega funk.