VAZIOS HABITADOS

21′ | 2018 | Florianópolis/SC

Direção

Duo Strangloscope, Felipe Vernizzi e Rodrigo Ramos
vazios-habitados-duo-strangloscope-1536x862

SINOPSE

Através da experiência de vivência de quatro artistas numa abordagem da paisagem circundante de forma processual e conectada com o ambiente, Vazios Habitados busca descrever os questionamentos destes atravessamentos da matéria corpo da paisagem e da luz, da imagem e do pensamento, do sensível e do intransfigurável. E, assim, potencializar também no espectador, ouvinte, o compartilhamento impossível de um universo de sentidos neste sensível compartilhado das imagens e dos sons experimentais vividos nas paisagens sonoras e imagéticas do Recôncavo Baiano.

CLASSIFICAÇÃO

Livre

EXIBIÇÃO

01/12 a 08/12/2020

FICHA TÉCNICA

Duo Strangloscope, Felipe Vernizzi e Rodrigo Ramos

MINI-BIO

O Duo Strangloscope (Rafael Schlichting&Cláudia Cárdenas) trabalha com vídeo e cine experimental em todas as bitolas e formatos e tipos de projeção, da sala de cinema à instalação, da moldura digital da exposição na galeria a performance com diferentes projetores de 35mm, Super8 e 16mm. Seus filmes, videos e performances têm como objeto a matéria imagem, a matéria filme, num trabalho dirigido e executado sensorialmente. Brincam com nossos sentidos, alteram nossa percepção do tempo, dos sons, da interação das imagens com a luz, como interagem fisicamente com o olho do espectador, etc. Muitas vezes os filmes não são verbais, mas criam uma atmosfera de contato com uma realidade sensória muito comovente pela imersão com que nos sentimos envolvidos por imagens e sons. Seus filmes são em grande parte abstratos, não apenas os filmes sem câmera, mas também os filmados de modo direto. Como numa criação em ato, mais do que em processo, a imprevisibilidade dos cenários e a forma de manusear a câmera fazem com que a lente absorva de modo irregular, difuso, abstrato mesmo a riqueza dos fluxos de luz e cor ao invés de ter uma preocupação em captar o real de modo documental, por exemplo. Além de criadores, performers e realizadores de cine experimental, o Duo Strangloscope também faz curadoria e realiza a Mostra Strangloscope que estará neste ano de 2019 em sua 12a edição. É uma mostra internacional de áudio, vídeo/filme e performance experimental que recebe trabalhos do mundo inteiro. Felipe Vernizzi trabalha com fotografia e cinema há mais de 15 anos. Na área da fotografia desenvolve ensaios sobre a natureza, exposições pelo país e oficinas para iniciantes. No cinema atua no campo da exibição, produção e formação. Fez parte da equipe da Mostra Latino Americana de Animação em Florianópolis ao longo de oito anos. Dirigiu curtas- metragens, documentários e videoclipes, trabalhou em animações e foi diretor de fotografia em várias produções. Rodrigo Ramos é formado em Cinema pela UFSC, com mobilidade acadêmica na UFF. Diretor do filme “As Ruas e o Tempo” (Ganhador do Funcine de 2012), atua principalmente como artista sonoro em filmes como: Angelus Novus (2015) e Vazios Habitados (2018), ambos em parceria com Duo Strangloscope. Como artista multidisciplinar, sua prática artística envolve diversas áreas distintas. Dança: Trilha Sonora em Anatomía y Estrategia (Natalha Fernandes, 2016) e Lamúria (Marcela Trevizan/Zilá Muniz, 2019); Teatro: performer e sonoplasta do ERRO Grupo de teatro desde 2012 e co-diretor do espetáculo Projeções (2018); Música: compositor na banda de post-rock Grize e membro fundador do R.I.S.C.O (Reunião Inusitada de Som, Computadores e Outros). Artes Visuais: criador do Espelho Sonoro (vencedor do edital Elisabete Anderle de Artes Visuais de 2014 e 2019), expondo-o em diversos festivais: Bienal Internacional de Arte Digital – Oi Futuro/Rio de Janeiro e Casa do Baile/Belo Horizonte; MIS-SC; Conferência Internacional de Pesquisa em Sonoridades – UFSC, Ciclo de Música Contemporânea – Salvador. Criador do projeto À Deriva Sonora, mapeamento sonoro e intervenções sonoras realizadas em Florianópolis, Chapada da Diamantina, Criciúma, Nova York e em Boston, teve a exposição de suas obras em O Sítio – Arte e Tecnologia (Agosto 2019), no qual reside sua última obra Roduchamp, instalação interativa a partir da obra Roda de Bicicleta (1913) e Anemic Cinema (1926) de Marcel Duchamp.