O que pode o cinema? Experimentação e política no Brasil atual.

' | |

Creio que a arte em geral, e o cinema em especial, podem muito. A potência das imagens e dos sons não podem ser menosprezadas, ainda mais em tempos tão nebulosos, em que o (des)governo genocida do Brasil ataca a tudo e a todos, em plena pandemia.

A escolha de filmes para uma programação não pode ignorar o momento presente, mesmo porque a recepção de qualquer obra estará sempre estará conectada ao seu tempo e lugar. Ao escolher os dois curtas, pensei em filmes que de alguma forma se tornam mais urgentes e que fazem sentido de serem apresentados no contexto em que estamos vivendo.

(In)Consciência foi filmado na véspera do dia da Consciência Negra, em 2016, e segue mais atual do que nunca. A violência policial contra populações periféricas é de conhecimento geral, mas esta obra vai muito além da mera denúncia, consegue nos jogar dentro de uma situação específica e, com uma construção narrativa impressionante, nos leva a refletir sobre uma das mais graves mazelas da sociedade brasileira.

Memby é um filme do que se convencionou chamar de “cinema experimental”. Uma obra aberta, cujo sentido pode ser completamente diferente para cada pessoa que a vê. A radicalidade de sua linguagem por si só já poderia ser considerada, nos dias de hoje, um ato político. Ancestralidade, passado e futuro vem a tona, num filme perturbador, que perturba a ordem das coisas.

Tentando pensar em conexões possíveis entre os dois filmes, eu diria que ambos tratam de experimentação e política. Esta e outras ideias poderão ser melhor desenvolvidas no debate que faremos com os dois diretores e dois convidados muito especiais: o conservador chefe da Cinemateca do Mam, Hernani Heffner, e a realizadora Gabriela Matos.

Daniel Queiroz/ Equipe de Curadoria da Semana de Cinema.

Daniel Queiroz

Daniel Queiroz nasceu em Belo Horizonte e começou a trabalhar com cinema no CEC – Centro de Estudos Cinematográficos, na década de 1990. Foi Diretor de Audiovisual da Secretaria de Estado de Cultura de Minas Gerais, programador do Cine Humberto Mauro, do Cine 104 e Diretor Artístico do Festival Internacional de Curtas de Belo Horizonte. Desde 2012 é programador do festival Semana de Cinema. Em 2018 passou a atuar na área de distribuição de cinema brasileiro, com a Embaúba Filmes.