Programação

Sessão 22: MEMÓRIAS DE NOSSAS LUTAS Y NOSSAS LUTAS PELA MEMÓRIA NOSSA

23 de fevereiro à 02 de março de 2021

Curadoria

Cineclube Ybyrapema

Sobre

O Cineclube Ybyrapema apresenta, com muito prazer, essa sessão com parceiras de caminhada da vida e das lutas nos territórios. Mantendo nossa tradição, só que dessa vez online, vamos conversar sobre as lutas dos nossos povos. Em especial, sobre a memória dos nossos territórios e o registro dela a partir de quem faz parte deles. Sabemos que nossas lutas e
possibilidade de acesso à memória estão constantemente ameaçadas pelo capitalismo e pelo sistema colonial desse país que chamam de Brasil. Com isso, além de focar nas nossas quebradas de São Paulo, aproveitando as ferramentas do presente, estaremos expandindo a possibilidade de conversa com irmãs de outras centralidades, que falarão de suas lutas em seus bairros e das suas necessidades íntimas em relação ao registro da memória em meio ao cinema de playboy produzido nas capitais.

A rua, que sempre foi um espaço significativo para a comunidade periférica, está sendo ocupada com arte, cultura e lazer, deixando de ser mero espaço de deslocamento para transformar-se em forte ponto de socializações das produções desses jovens protagonistas de suas próprias narrativas. Recebemos o título do Ministério da Educação de melhor projeto do Brasil em 2018. Em 2020, fomos selecionados como um dos 50 melhores projetos do mundo pela Varkey Foundacion, no Global Teacher Prize, Nobel da Educação. Democratizamos acesso ao cinema com telas ao céu aberto, produzimos conteúdos literários com poesia preta, dança, teatro, percussão, dentre outros.
É com muita alegria que ocupamos mais esse espaço, produzindo uma sessão e fomentando o debate na Semana Semana 2021. Nossos filmes, o documentário É Nós Por Nós e o curta de ficção Perspectivas dão conta de apresentar um pouco da nossa trajetória e dos nossos desejos: produzir audiovisual na e sobre a Terra Firme. Quem achou que a periferia morreria, se escandalizou com a grande lição de empatia e solidariedade que veio da força dos coletivos. As mãos estendidas para o próximo. A lógica do Ubuntu: “eu sou porque tu és”.