SESSÃO 1 – TERRITORIALIDADES E A URGÊNCIA DE FAZER FILMES

18 a 25 de agosto de 2020

Curadoria

Alessandra Castañeda
sessão 1

Sobre

Ocupar e ressignificar espaços, comportamentos e narrativas. É na urgência de fazer filmes como ferramentas de autonomia e de expressão que FILME DE DOMINGO e CONTE ISSO ÀQUELES QUE DIZEM QUE FOMOS DERROTADOS se encontram. São obras coletivas que exploram a intimidade dos corpos pertencentes aos territórios, que oxigenam os padrões cinematográficos, que questionam a centralidade no processo de descolonização da linguagem. Enfrentando as estruturas, os curtas representam a ocupação do cinema.
FILME DE DOMINGO (Lincoln Péricles) é híbrido, espontâneo, sobre vivências e sobre símbolos ancestrais como suporte para a resistência às opressões. CONTE ISSO ÀQUELES QUE DIZEM QUE FOMOS DERROTADOS (Aiano Bemfica, Camila Bastos, Cristiano Araújo, Pedro Maia de Brito) mostra a luta por moradia em Belo Horizonte, construindo a memória social através de imagens de arquivo de 3 ocupações.
Além de dialogar sobre o processo criativo dos filmes, o debate será um espaço para a reflexão sobre territorialidades e a produção audiovisual; a contribuição de narrativas questionadoras e cotidianas para múltiplas ações; os meios de acesso aos equipamentos digitais; a percepção e a coletividade como estratégia.

Filmes e debate

FILME DE DOMINGO

28’| 2020| SP

Direção

Lincoln Péricles

Classificação

Livre

CONTE ISSO ÀQUELES QUE DIZEM QUE FOMOS DERROTADOS

23’| 2018| MG

Direção

Aiano Bemfica, Camila Bastos, Cristiano Araújo, Pedro Maia de Brito

Classificação

Livre

TERRITORIALIDADES E A URGÊNCIA DE FAZER FILMES

25 de agosto de 2020 às 20h

Debatedores

Lincoln Péricles e Francineide Bandeira (FILME DE DOMINGO), Aiano Benfica (CONTE ISSO ÀQUELES QUE DIZEM QUE FOMOS DERROTADOS), Poliana Souza (moradora da Ocupação Eliana Silva e educadora popular), Preta Ferreira (Multiartista, abolicionista penal, ativista pelo direito à moradia no MSTC) e Manaíra Carneiro (realizadora e mestre em Cultura e Territorialidades – UFF). Mediação: Lorran Dias (Cineasta, artista visual e roteirista. Diretor e curador da TV Coragem).

Classificação

Livre