SESSÃO 20 – CINEMA DE CONDIÇÃO

09 a 16 de fevereiro de 2021

Curadoria

`Cineclube Baixada Cine
CamScanner 01-14-2021 15.42

Sobre

A sessão “Cinema de condição” proposta pelo BaixadaCine traz dois curtas de Belford Roxo distintos entre si, mas que disparam um debate em comum: a democratização do acesso ao cinema e aos meios de produção. Traçando percursos entre territórios reais e fantásticos, “Infância” e “Sonho de uma Noite de Tesão” nos mostram diferentes formas de se sonhar e partilhar histórias. O primeiro, filme de estreia dos diretores Alexandre Ferreira e Luiz Silfer, discorre acerca das expectativas infantis dentro de uma realidade periférica. Através de um olhar adulto enxergamos crianças comuns, com vivências complexas. As entrevistas com os pequenos vagueiam por assuntos como religião, fascínio em profissões armadas, cultura gamer, medo, violência e música. Além de compartilharem as alegrias e angústias da periferia, esses jovens também se conectam através do amor pelo futebol. Realizado dentro da oficina “Cinema de Periferia” o curta venceu a mostra Rio 2030, rendendo uma quantia de R$500 aos diretores. Já “Sonho de uma Noite de Tesão”, dirigido por Sandro Garcia, é uma produção derivada da experimentação. O curta foi filmado durante uma festa na qual não estava prevista a realização de um filme. Vemos um casal que pode ou não fazer parte do mundo “real”, a atmosfera devaneante que envolve esses personagens cria no espectador um sentimento de que diversas periferias são possíveis, com preocupações e anseios outros. Realizados com dispositivos mobile, os dois filmes manifestam o desapego das formas tradicionais de executar certos enquadramentos, planos e ângulos. Também existe um interessante jogo com as legendas de ambas as produções. Em um dado momento “Infância” brinca com uma palavra escrita de maneira “errada” e logo após a destaca de forma “correta”. Já “Sonho de uma Noite de Tesão” utiliza o artifício da língua estrangeira. Ao passo que crianças periféricas despejam sonhos através do linguajar local, usando e abusando de gírias e vícios de linguagem, uma jovem brasileira discursa seus desejos em outro idioma, fugindo da imagem estigmatizada da mulher negra menos inteligente ou menos intelectualizada. O Brasil e o mundo vivem um momento de muita fragilidade social onde nossas periferias e comunidades gritam por socorro. Na falta de acesso, a prática do “dar um jeito” prevalece para cineastas que não pertencem a indústria, fazendo-os explorar o campo do cinema experimental não apenas como um conceito mas também numa forma de exibir diferentes perspectivas ao direcionar o olhar para dentro da periferia. Sendo assim, a sessão Cinema de condição, traz um questionamento sobre as múltiplas possibilidades do fazer cinematográfico. Nossa intenção é reverberar indagações sobre quais filmes queremos fazer, onde queremos fazer, com quem queremos fazer e porque fazemos cinema.

Filmes e debate

INFÂNCIA

9′, 2019, Belford Roxo (RJ)

Direção

Alexandre Ferreira, Antônio Douglas e Luiz Silfer

Classificação

Livre

SONHO DE UMA NOITE DE TESÃO

4′, 2020, Belford Roxo (RJ)

Direção

Sandro Garcia

Classificação

16 anos

CINEMA DE CONDIÇÃO

16 de fevereiro às 20h

Debatedores

Alexandre Ferreira (INFÂNCIA), Luiz Silfer (INF NCIA), Sandro Garcia (SONHO DE UMA NOITE DE TESÃO), Lorre Motta (realizadora, atriz e cantora), Beatriz Rodrigues (produtora) e Cíntia Lima (professora, escritora, cineasta, roteirista e produtora audiovisual)

Classificação

Livre